Maranhão registra primeiro caso de recebimento de ”sementes misteriosas”

Notificado no Maranhão o primeiro caso de recebimento das “sementes misteriosas”. O caso foi registrado pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA), nessa terça-feira (6), na capital maranhense. Em todo o país, mais de 23 estados e o Distrito Federal já registraram casos semelhantes.

Segundo informações da Aged, o pacote foi recebido pelos Correios por uma moradora do bairro São Francisco, em São Luís. Ela afirmou que recebeu o produto sem ter feito nenhuma compra ou solicitação. Ao perceber que se tratava das sementes, ela encaminhou o pacote sem violação, para o setor de Defesa e Inspeção Vegetal da Aged.

A recomendação da Aged é de que, em caso de recebimento das sementes misteriosas, a população não viole a embalagem, não descarte em cursos d’água ou junto do lixo comum. Além disso, a orientação é que as sementes não sejam plantadas, mesmo que o conteúdo descreva uma semente de fruta popular.

Os pacotes devem ser encaminhados imediatamente à Superintendência Federal de Agricultura do Maranhão (SFA-MA) ou a sede da Aged. Caso não tenha um escritório da agência na região, o cidadão pode ligar para a Ouvidoria da Aged (98) 999132-0441 ou da SFA-MA/Mapa (98) 3131-3407.

Sementes misteriosas entregues no Brasil têm fungos, ácaro e possíveis plantas daninhas

Ministério da Agricultura informou nesta terça-feira (6) que foram encontrados fungos, ácaro e até possíveis plantas daninhas nas sementes misteriosas enviadas a moradores do país.

O governo afirma que os pacotes “supostamente” foram enviados de 4 países da Ásia. Moradores de Estados Unidos e Canadá também registraram casos semelhantes. A suspeita do governo brasileiro é que seja uma fraude relacionada ao comércio on-line

Desde agosto, moradores de estados brasileiros relataram estar recebendo pacotes de sementes não solicitadas. Esses produtos chegam, normalmente, junto com compras feitas pela internet.

Segundo o Ministério da Agricultura, até o momento, foram recebidos 258 pacotes de sementes não solicitadas. Moradores de 24 estados e o Distrito Federal já tiveram relatos do problema. Apenas Maranhão e Amazonas não tiveram relatos de casos de sementes misteriosas.

Da investigação feita pelo ministério até agora foi identificado que:

  • Sementes de 25 embalagens mostraram 3 fungos diferentes;
  • 1 pacote apresentou ácaro;
  • 4 embalagens com possibilidade de conter plantas daninhas não presentes no país;
  • 2 pacotes com a presença de bactérias.

Ainda não há a identificação de quais são essas bactérias e fungos, pois os materiais seguem em análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, em Goiânia, referência no assunto. O Ministério da Agricultura espera terminar a avaliação das sementes em até 30 dias.

“Quando o risco é desconhecido, o risco é máximo. Por isso que a gente pede para que a população não plante esta semente”, diz o diretor do Departamento de Serviços Técnicos do ministério, José Luís Vargas.

“A gente coloca nossa agropecuária em risco, nossas florestas em risco. A gente não sabe o potencial de risco e dano desse material”, acrescenta.

Riscos para pessoas e produção

Ministério da Agricultura afirma que trabalha em conjunto com o Ministério da Saúde para monitorar possíveis riscos das sementes para as pessoas.

“Como é um material sem controle, ele pode ter sido tratado com produto químico, ou plantas com alguma toxicidade. Pode ter risco de intoxicação da pessoa ou de um animal doméstico. As pessoas não devem manusear o material”, explica o Secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal.

Segundo o governo, não é possível afirmar que o envio de sementes seja uma ação proposital para prejudicar a agricultura brasileira, o chamado agroterrorismo. Mesmo assim, diz que existem riscos à atividade.

“Não temos elementos para afirmar que é uma ação intencional para introduzir algum organismo que seja prejudicial, mas o risco existe. Os primeiros resultados nos apontam que a gente vai precisar aprofundar a identificação (das sementes)”, diz Leal.

Suspeita de fraude

Nos Estados Unidos, onde os pacotes também chegaram, o Departamento de Agricultura (USDA, em inglês) trabalha com a possibilidade de que as encomendas indesejadas estejam relacionadas a uma fraude conhecida como “brushing”.

O governo brasileiro diz que também considera essa possibilidade e que está em colaboração com outros países para investigar a situação.

O “brushing” é, essencialmente, o envio de mercadorias não solicitadas com o objetivo de registrar compras falsas.

A semente, no caso, apenas cumpre a finalidade de não deixar o pacote vazio. Isso explicaria por que as autoridades até agora não encontraram sinais de tentativas de bioterrorismo ou contaminação.

Cuidados

O Ministério da Agricultura reforça para que a população tenha cuidado e não abra encomendas recebidas pelo correio de pacotes de sementes não solicitadas, seja qual for o país de origem.