Açailândia – Coordenadorias dos SCFV faz reunião sobre a volta às aulas

Em tempos de isolamento social provocado pela pandemia da Covid-19, as aulas escolares foram suspensas, depois voltaram no sistema híbrido.  Agora a previsão de retorno das aulas presenciais.

A Prefeitura de Açailândia, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, realizou nos dias 19 e 20 de julho, na sede da SEMAS, uma reunião com coordenadores dos CRAS e SCFV para falar sobre a volta às aulas.

Participaram do encontro Gele Maria, representando a Secretaria de Assistência Social, e as Coordenadoras dos SCFV: Gildalva Oliveira – SCFV da Vila Ildemar; Maria do Amparo Silva Lopes – SCFV de Capelloza; Patrícia Salgado – CRAI; Loislene Silva – SCFV do Piquiá; e Adriana – SCFV  do Plano da Serra. E também as coordenadoras dos CRAS: Joselma Alves –CRAS Piquiá; Mauritânia Souza, CRAS Centro; Juliana Marques,  CRAS Vila Ildemar;
Michelly Barroso, psicóloga – Equipe Volante; Laiana Castro, presidente do Conselho de Assistência Social; Silvia Rosana –Gestora do SUAS; e Verônice –Coordenadora da Casa Abrigo.

O trabalho intersetorial, a articulação e a complementação das ações entre o SCFV e o ambiente escolar podem promover o atendimento integral dos usuários, resguardando as competências específicas de cada área. O projeto está sendo desenvolvido em parceria com as secretarias da Assistência, da Educação  e da Saúde, com apoio do Programa Suzano de Educação.

No cenário atual, com o avanço da vacinação e a queda nos índices da pandemia, a volta às aulas presenciais traz preocupação e cuidados, com o objetivo de sensibilizar os pais sobre o retorno às aulas presenciais e a importância  das medidas preventivas, como o uso de máscaras de proteção, álcool em gel e medição de temperatura, continuam obrigatórias e necessárias.

As regras continuam valendo tanto para instituições públicas quanto privadas, da educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, técnico e superior, conforme a necessidade do nosso município, as crianças, adolescentes e jovens que participam do turno integral nas escolas são, em muitas localidades, os mesmos usuários que demandam a participação no SCFV.

O SCFV tem por objetivo prevenir a ocorrência de situações de riscos e vulnerabilidades, procurando assim o fortalecimento da convivência familiar e comunitária, por meio de atividades que estimulem o convívio social e a cidadania